sábado, 1 de junho de 2013

Na fila por "Além da Escuridão: Star Trek"

Eram 17:15 do dia 31 de maio de 2013 quando eu resolvi sair de casa e ir ao cinema assistir o tão sonhado filme Além da Escuridão: Star Trek (Star Trek: Into Darkness, 2013) Mas antes de chegar lá, me dei conta que o ônibus linha 155 que ia da Avenida Conselheiro Nébias a Avenida Ana Costa estava demorando pra chegar! (Meu Senhor Jesus, o que fazer?) Por isso fui a pé até àquela avenida (cruzei até o Canal 3) com muita coragem. (Foi quando eu pensei: "Se Muhammed não vai até a montanha, a montanha vai até Muhammed.") Até que finalmente cheguei ao Cine Roxy do Gonzaga!
Às 18h fui pagar um ingresso pra assistir meu filme favorito (e o mais recente) - e em 3D. Só que no momento em que eu ia pagar R$ 6,00 a inteira, a moça do balcão me pediu que pagasse R$ 12,00 a meia em vez do mesmo valor citado acima! Ainda assim fui de ingresso na mão assim mesmo.
Lá pelas 18:05h eu estava na fila com um monte de gente esperando o filme começar quando de repente o cara trouxe os óculos 3D e lá fui eu com os mesmos na mão. Pensei: "Vai ser pra lá de inesquecível!"
Sentada na sexta poltrona da primeira fila, coloquei os óculos 3D antes do filme começar (nem precisou pipoca!) e às 18:15h o filme Além da Escuridão: Star Trek finalmente começou com Kirk, Magro, Spock e o resto da tripulação da Enterprise em missão no Planeta Nibiru Classe M antes de voltarem a Terra (gostei dos macacões azul e vermelho com detalhes, remetem muito os macacões de neoprene para mergulho profissional e são demais; ainda mais esportivos e neo-futuristas). 
Depois vi a cena seguinte: em Londres, quando o plano foi o cara que criou a pedido de John Harrison (cujo nome verdadeiro é Khan). Depois outra cena, dessa vez em San Francisco, onde Kirk é rebaixado a Primeiro-Oficial pelo Almirante Pike, que, entretanto, é morto pelo imbecil desse terrorista durante a conferência (lá se foi o Almirante!) e um outro Almirante chamado Alexander Marcus assume o lugar dele - e posteriormente o comando da USS Vengeance (caraca, esse Almirante Marcus é responsável pelo contra-ataque da Frota!). Por isso que Kirk (Chris Pine) é reconduzido ao posto de capitão e vai para a USS Enterprise para mais uma missão: arrancar o couro desse terrorista.
Esse é o nosso heroi!  
Informados que John Harrison (ou melhor, Khan) se refugiou em Kronos, a tripulação - incluindo Spock (Zachary Quinto), Magro (Karl Urban) e Uhura (Zoë Saldaña), mais a Dra. Carol Marcus (Alice Eve) - vai até aonde ele está (Spock diz: "Não vai caber", mas Kirk diz "Vai caber! Vai caber!" e depois que a nave auxiliar passa, Kirk diz: "Viu? Eu disse que ia caber!"). Atenção para a tenente Uhura falando klingonês com um dos klingons antes do ataque que termina com John "Khan" Harrison indo preso! 
A cena seguinte começa com o terrorista em cana enquanto Kirk, Spock e Magro o observam. Enquanto isso, Chekov (Anton Yel'chin) dá um jeito nas nacelles (Scotty foi despedido pelo Capitão Kirk, pelo menos até nosso querido Engenheiro-Chefe escocês ir até a Vengeance em órbita de Júpiter, a 1 ano e 6 meses distante daqui do nosso planeta) até que um incidente rolou: o Almirante Marcus ordena ao Capitão que se renda! (E agora?) 
O que eu gostei foi da cena em que Spock e seu velho eu (Leonard Nimoy) se encontram.

SPOCK: Sr. Spock!
SPOCK PRIMORDIAL: Sr. Spock!

Spock Primordial (na tela) explica a Spock sobre Khan, que quase destruíra a Enterprise em 2285 (de acordo com a linha do tempo primordial) e que é o responsável por esse terrorismo. Um dos meus momentos favoritos entre dois Spocks, interpretados por Zachary Quinto e Leonard Nimoy. (N. da A.: Leonard Nimoy, que tem feito o Spock Primordial no filme anterior de 2009, reprisa brevemente o mesmo papel neste mais recente filme.)
Depois, enquanto ruma a Terra, Kirk e Khan têm que ir a outra nave onde Scotty (Simon Pegg) está, mas depois de serem teletransportados de volta, é tarde demais: a Enterprise começa a ruir (devido aos reatores e torpedos alguns danificados, outros trocados por cápsulas criogênicas) e a tripulação está em perigo! (Maldito Khan!) Agora Kirk vai ter que ir á câmara radioativa (Kirk dá um murro em Scotty antes) para consertar o reator (o mesmo também ia rolar com Spock, que anos depois entraria, ignorando as ordens de Magro e Scotty, numa câmara sem ar para consertar o que danificou) - só pra salvar a Enterprise.
A cena que mais me marcou (e me fez emocionar) foi aquela de Kirk quase morrendo exposto a radiação enquanto Spock o consola (o mesmo ocorre também no filme Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan de 1982, mas de forma trágica: Spock, depois de consolado pelo Almirante Kirk, morre na câmera sem ar; neste filme, porém, os papéis se invertem). Quando eu vi essa cena emocionante entre Kirk (dentro da câmera radioativa) e Spock), quase que me deu um frio na barriga: em 1995, quando eu fui ao mesmo Roxy assistir o filme Jornada nas Estrelas: Novas Gerações em que Kirk (William Shatner) morre heroicamente em Veridian III na cena em que ele e Picard (Sir Patrick Stewart) impedem Soran, eu mal ia completar 17 anos e estava comendo pipoca com minha mãe! Até fiquei emocionada com a cena! 
Spock, ao saber que Kirk está semimorto ("Khaaaaaan!"), vai atrás de Khan e arranca o couro dele, mas Uhura o impede.
Duas semanas depois, no hospital, Kirk, já consciente e agora vivo (ele recebeu alta), é recebido por Magro e por Spock e depois volta a ativa. (Quanto ao Khan, bem feito pra ele: foi congelado!)
Mais um momento marcante, dessa vez a cena final: o Capitão Kirk faz seu discurso para toda a tripulação, dessa vez ele anuncia sua missão de cinco anos (é a primeira vez desde 1966 que Chris Pine como Capitão Kirk reprisa o monólogo "Onde nenhum homem jamais esteve" anterior mas famosamente narrado pelo seu predecessor William Shatner na série de TV "Jornada nas Estrelas: A Série Clássica") e depois vimos as partes externa e interna da Enterprise e, claro, o Capitão Kirk no comando (e a tripulação também) prontos para uma missão de cinco anos, terminando com a Enterprise entrando em dobra. Foram 2 horas e 12 minutos de muita ação e emoção com a tripulação da Enterprise (de cara nova!) do início ao fim! E também foi uma experiência em 3D mais que cinematográfica: digital! Até aplaudi o filme com muito elogio e muito carinho e respeito! Isso porque sou uma Trekker número um!
O filme terminou às 20:30h quando finalmente saí do Cine Roxy muito emocionada e feliz por ter assistido o filme - que espero assisti-lo várias e várias vezes em DVD ou em Blu-Ray. E, claro, esse filme conquista muitos fãs - e me conquista muito também.