sexta-feira, 15 de agosto de 2014

"Sakura": conheça a flor do amor (ainda mais inspiradora)!

Se lembram das duas primeiras vezes em que postei algo do Kiyoshi Hikawa e suas inspirações, a começar pelo Nijiiro no Bayon (Bayon Iridescente)? Agora vamos falar da cerejeira: a flor do amor, inspiradora, muito conhecida no Japão. Mas o que, como é, do que se trata e a qual inspira a cerejeira? Bora conhecê-la (e mais algumas inspirações nela)! 


A flor

Sakura (kanji : 桜 ou 櫻; hiragana: さくら) é o nome japonês dado às cerejeiras em flor, pertencentes à espécie Prunus serrulata. Dão menos frutos que a Cerejeira ácida e a Cerejeira doce.
Cerejeiras são nativas de muitos países asiáticos, inclusive JapãoCoreia e China. O Japão tem uma grande variedade de cerejeiras (sakura); bem mais de 200 cultivares lá se acham.
Durante o Período Heian (794–1191), os japoneses adquiriram muitas práticas da China, inclusive o fenômeno social da apreciação de flores (hanami: 花見), onde a família imperial, poetas, cantores e outros aristocratas se reuniriam e celebrariam sob as árvores floridas. No Japão, cerejeiras eram plantadas e cultivadas por sua beleza, para adornar os pátios da nobreza em Kyoto, pelo menos desde 794. Na China, a ume, ou ameixeira chinesa, (na verdade, uma espécie de damasqueiro) era considerada a melhor, mas pela metade do século IX, a cerejeira havia substituído a ameixeira como a espécie favorita no Japão.

Todo ano, a Agência Meteorológica Japonesa e o público acompanham a sakura zensen (a frente de afloração das cerejeiras) conforme ela avança através do arquipélago para o norte com a chegada do tempo quente por meio de previsões logo em seguida da sessão meteorológica dos jornais de TV noturnos. O desabrochar começa em Okinawa em janeiro e tipicamente chega em Kyōto e Tóquio no fim de março ou começo de abril. A frente quente e o desabrochar das flores segue para áreas de maiores altitudes e para o norte, chegando em Hokkaidō algumas semanas depois. Os japoneses acompanham as previsões sobre a frente assiduamente e saem de casa em grandes números para ir a parques, santuários e templos com a família e com os amigos para festejar e apreciar as flores. Festivais Hanami celebram a beleza da cerejeira e para muitos são uma chance de relaxar e aproveitar a bela vista. O costume do hanami já tem centenas de anos no Japão: a crônica do século VIII Nihon Shoki (日本書紀) fala de festivais hanami sendo celebradas desde o século III.

A maioria das escolas japonesas e dos prédios públicos tem cerejeiras do lado de fora. Já que tanto o ano fiscal como o ano escolar começam em abril, em muitas partes de Honshū, o primeiro dia de trabalho ou de estudos coincide com a estação da sakura.

Simbolismo

No Japão, a sakura também simboliza as nuvens dado que elas desabrocham em massa, além de serem duradouras metáforas da natureza efêmera da vida, um aspecto da tradição cultural japonesa que é frequentemente associado com a influência budista, e que é encarnado no conceito de mono no aware (saudade da beleza que passa). A associação da sakura com mono no aware remonta ao estudioso do século XVIII Motoori Norinaga. A transiência das flores, sua extrema beleza e rápida morte, foi frequentemente associada com a mortalidade; por esta razão, sakura tem um rico simbolismo, e são bastante usadas na Arte japonesamangáanimê, e filmes, assim como durante apresentações musicais pelo efeito ambiente. A banda Kagrra, que é associada com o movimento visual kei, é um exemplo desse último fenômeno. Há pelo menos uma canção popular, originalmente feita para tocar com shakuhachi (flauta de bambu), intitulada "Sakura" (canção folclórica que eu vou contar mais adiante), e várias canções j-pop (e também a canção enka moderno, "Sakura", na voz de Kiyoshi Hikawa, que vou contar mais adiante ainda). A flor é também representada em todo tipo de produtos no Japão, inclusive kimonos, materiais de papelaria, e peças para cozinha e mesa.

A sakura é um amuleto de boa sorte e é também um emblema de amor, afeição e representa a primavera.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a sakura foi usada para motivar o povo japonês, para acender um espírito nacionalista e militarista dentre a população. Pilotos japoneses pintavam-nas nas laterais dos seus aviões antes de embarcar numa missão suicida, ou chegariam a levar ramos da árvore consigo. Uma sakura pintada na lateral de um bombardeiro simbolizava a intensidade e a efemeralidade da vida; desta forma, a associação estética foi alterada de tal modo que a queda das pétalas de sakura veio a representar o sacrifício dos jovens em missões suicidas para honrar o imperador. O governo chegou a encorajar o povo a acreditar que as almas dos guerreiros abatidos eram reencarnadas nas flores.

Nas suas empreitadas coloniais, o Japão imperial frequentemente plantava cerejeiras como forma de "reclamar aquele espaço como território japonês".

O poema

De todos os poemas sobre a sakura, a romena Ileana Jeder escreveu um poema sobre essa flor (o poema é datada de 29 de junho de 2013, eu mesma o traduzi, revisei e editei). Por dois motivos:
- A cerejeira é o símbolo da vocação guerreira dos samurais japoneses e do destino ao qual eles se preparam. Representa também a devoção pela vida e a procura da vida interior.
- É também a flor favorita do ator Touta Tarumi (que imortalizou Jin/Red Flash da série Supernova Flashman - no Brasil, Comando Estelar Flashman), pois em Setagaya há uma infinidade de cerejeiras (e também em todo o Japão), o que faz de Touta "um homem digno de um samurai e com espírito aventureiro de um super sentai vermelho" (como é o caso de Jin, seu personagem do mesmo seriado citado acima). 
Eis aqui o poema que Ileana (muito obrigada por compartilhá-lo!) escreveu (com base na música do mesmo nome) especialmente para Vitas no livro de visitas do site dele na Rússia:

SAKURA
(Ileana Jeder)

A sakura está
Sob ataque dos gafanhotos.
Senhor, envie rapidamente
A chuva abençoada
Para salvar o fruto
Que alimentam as nossas almas!

(Original em inglês)

The cherry orchard is
Under assault of locusts
Lord, swiftly send
A blessed rain
For save the fruit
That feed our souls!

A canção folclórica

Sakura sakura é uma canção popular japonesa melódica e tradicional que descreve a temporada de flores de cerejeira. Ao contrário da crença popular, a canção não teve origem nos tempos antigos; era um melodia popular, urbana do período Edo e foi adotada como uma peça para o aluno iniciante de koto na Academia de Música Tokyo Music Collection of Japanese Koto emitido em 1888 (em Inglês) pelo Departamento de Educação. A canção tem sido popular desde o período Meiji, e as letras em sua forma atual, foram anexadas a posteriori. Muitas vezes, é cantada em cenários internacionais como representante da Música do Japão. 

Em 2007, foi selecionada para o Nihon no Uta Hyakusen, uma coleção de canções e rimas muito amadas no Japão.

A melodia "Sakura Sakura" é pentatônica usando graus da escala 1, 3, 4, 6, e 7 (C, E, F, A, B), também conhecido como Do, Mi, Fa, La e Si em solfejo.

As letras originais estão listadas como o segundo verso. Em 1941, o Ministério da Educação japonesa publicou um verso adicional no Uta no hon (う た の ほ ん 教師 用 下), listando-o primeiro antes do verso original. Cerca de 70 anos depois, o cantor de enka japonês Kiyoshi Hikawa, durante o especial da tevê japonesa em HD (registrado em 2011), apresentou, cantou e transcreveu apenas o segundo verso da canção Sakura, sakura (uma canção folclórica japonesa que um ano depois inspiraria uma outra canção enka diferente que virou um hit, Sakura). 

Kiyoshi Hikawa interpretando "Sakura, sakura" durante o especial de tevê japonesa em HD, 2011


さくら さくら (Sakura, sakura)
(Flores de cerejeira)
(Canção tradicional japonesa) 

(Padrão)

桜 桜
野山も里も
見渡す限り
霞か雲か?
朝日に匂う
桜 桜
花ざかり.

桜 桜
弥生の空は
見渡す限り
霞か雲か?
匂いぞ 出ずる
いざや いざや
見に行かん!

(Hiragana)

さくら さくら
のやま も さと も
みわたす かぎり
かすみ か くも か?
あさひ に におう
さくら さくら
はな ざかり.

さくら さくら
やよい の そら は
みわたす かぎり
かすみ か くも か?
におい ぞ いずる
いざや いざや
みに ゆかん!

(Rōmaji)

Sakura sakura
Noyama mo sato mo
Mi-watasu kagiri
Kasumi ka kumo ka?
Asahi ni niou
Sakura sakura
Hana zakari.

Sakura sakura
Yayoi no sora wa
Mi-watasu kagiri
Kasumi ka kumo ka?
Nioi zo izuru
Izaya izaya
Mini yukan!

(Letra traduzida)

Flores de cerejeira,
Nos campos e aldeias
Até onde você possa ver.
Será uma névoa, ou será nuvens?
Perfumado no sol da manhã.
Flores de cerejeira,
Flores em plena floração.

Flores de cerejeira,
Do outro lado do céu de primavera,
Até onde você possa ver.
Será uma névoa, ou será nuvens?
Ela é perfumada no ar.
Vamos agora, vamos,
Vamos ver, por fim!



A canção enka temática

Sakura (桜 , A cerejeira), com base (e inspirada) na temática da canção folclórica com o mesmo nome, é uma música enka (e uma balada romântica no compasso 6/8), composta por Rei Nakanishi (letra) e Masaaki Hirao (música) na primavera japonesa de 2012, especialmente para Kiyoshi Hikawa, que gostou e resolveu gravá-la. Como resultado, o single Sakura foi lançado em fevereiro de 2012 e fez tanto sucesso que Kiyoshi chegou a cantá-la diversas vezes a partir daí. 
Para Kiyoshi, Sakura mostra uma temática com base noutra música anterior com o mesmo nome: a flor do amor, admirada pelos amantes que prometem que o amor seja eterno. Contrastando com os compositores Aleksandra Pakhmutova e Nikolai Dobronravov, do escritor Anton Chekhov (futuro parente de Pavel Chekov) e do cantor russo Vitas, o intérprete da canção O jardim das cerejeiras, que retratam a beleza da sakura e seu papel de vítima de um desfolhamento da cerejeira como algo inevitável e absoluto, os autores (Nakanishi e Hirao) e o intérprete (Hikawa) descrevem uma vida saudável e repleta de esperança. 

Comparemos o mesmo contraste de Vitas e sua música O jardim das cerejeiras com Kiyoshi Hikawa e sua música Sakura. 


O jardim das cerejeiras (1993), 2006




Sakura (A cerejeira; 2012)

Quem prestar atenção na comparação dos 2 clipes de 2 músicas de cada 2 cantores nos fotoprints acima, vai notar que tanto Vitas (da Rússia) quanto Kiyoshi Hikawa (do Japão) estão contrastando um com o outro nas 2 músicas com o mesmo tema: a sakura. Enquanto O jardim das cerejeiras (com base em Anton Chekhov) retrata "a sakura desfolhada e desgasta do nosso amor", Sakura é descrita como uma flor do amor: viva, cheia de esperança, saudável, enfeitando o romance do casal de amantes de amor e carinho, cheio de sonhos e felicidade, a fim dos dois viverem juntos eternamente (bem como a própria sakura. (Eu acho que o Príncipe do Enka tinha razão: Sakura fala de amor!) 

O single

Da mesma forma que seus ultimos lançamentos, este single vem em duas versões. A primeira versão segue com a canção "Togue Shunju" (B-Type), como segundo titulo, e a segunda versão vem com a canção "Shuppatsu" (A-Type)  como segundo titulo. O lançamento simultâneo de dois singles é uma inovação que vem ganhando espaço na midia japonesa. 

O clipe musical


Bastavam dois ou três dias para produzir o videoclipe da canção Sakura para criar um clima romântico debaixo de uma cerejeira sob o luar (era noite de lua cheia quando o cenário perfeito foi feito para criar esse clima num videoclipe de tirar o fôlego). O clipe estreou na mesma data do lançamento do single do mesmo nome (junto com a versão karaokê do mesmo clipe). Ah, e o clipe foi bem sucedido. Se você ver o clipe da canção Sakura com Kiyoshi Hikawa debaixo de uma cerejeira sob o luar, vai ficar encantado com aquele clima de romantismo e muito encanto apaixonado por aquela flor de cerejeira e você vai dizer: "Eu tô nas nuvens!" 

A letra da canção

櫻 
SAKURA (A cerejeira) 

歌:氷川きよし (Canta: Hikawa Kiyoshi) 
作詞:なかにし礼    (Letra: Nakanishi Rei) 
作曲:平尾昌晃 (Compositor: Hirao Masaaki)

(Kanji)

月の光に 妖しく匂う
花はあなたの 横たわる姿
私が死んだら 櫻になるわ
それがあなたの 口癖だった。
櫻、櫻 夢かうつつか
ぼくを抱きしめる あなたの幻。

まるであなたの 涙のように
花が散ります はらはらと泣いて
春にはかならず 櫻となって
会いにいくわと あなたは言った。
櫻、櫻 花にかくれて
ぼくにくちづける あなたの幻。

空は明けそめ 薄紅(うすくれない)に
花は輝く 新しい命
愛する心は 永遠だから
春が来るたび あなたは帰る。
櫻、櫻 花でつつんで
ぼくを眠らせる あなたの幻。

愛する心は 永遠だから
春が来るたび あなたは帰る。
櫻、櫻 花でつつんで
ぼくを眠らせる あなたの幻。

(Rōmaji)

Tsuki no hikari ni ayashi ku niou
Hana wa anata no yoko tawaru sugata
Watashi ga shindara sakura ni naru wa
Sore ga anata no kuchiguse datta
Sakura sakura yume ka utsutsu ka 
Boku wo dakishimeru anata no maboroshi

Marude anata no namida no you ni
Hana ga chiri masu hara hara to naite
Haru ni wa kanarazu sakura to natte 
Ai ni iku wa to anata wa itta
Sakura sakura hana ni kakure te
Boku ni kuchi jukeru anata no maboroshi

Sora wa ake some usuku renai ni
Hana wa kagayaku ata rashii inochi
Aisuru kokoro wa eien da kara 
Haru ga kuru tabi anata ha kaeru
Sakura sakura  hana de tsutsunde
Boku wo  nemuraseru  anata no maboroshi

Aisuru kokoro wa eien da kara 
Haru ga kuru tabi anata wa kaeru
Sakura Sakura hana de tsutsunde 
Boku wo nemuraseru  anata no maboroshi 



P.S.: Se desejam a letra traduzida (do japonês pro português) da música de Kiyoshi Hikawa, "Sakura" (A cerejeira), favor postar no comentário desta postagem que eu vou passá-la pra mim e adicioná-la na mesma postagem. 

P.P.S.: Falando nisso, eis aqui as 2 fotos, minha e a do Kiyoshi-san (debaixo da mesma cerejeira)!

Eu (representando o Brasil) como a "musa da cerejeira" 

Kiyoshi-san (representando o Japão) como um homem em busca de sua "musa da cerejeira" (a mesma citada acima) 

P.P.P.S: Por coincidência é a mesma cerejeira que aparece no decorrer do conto/poesia "Riyu Tyango, o Astro do Dragão", reaproveitada tanto na capa do CD-single quanto no clipe de Kiyoshi Hikawa, "Sakura". 


Fontes: Wikipédia e Rick Akio, do blog ENKA MANIA