quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Carollove, a Flor da Paz


Existe no jardim angelical, nupcial e feérico - e também no jardim do coração da Momoko e em nossos corações - uma flor branca, similar a uma orquídea-traça, consagrada por Deus e com uma bela aparência. Chama-se Carollove e é uma flor da paz que pode destruir as flores demoníacas com sua luz essencial e que se abre de cinco em cinco anos somente durante três dias. Eu vou lhe contar três histórias de cada três mulheres que têm a Carollove como sua flor predileta - três histórias num mesmo conto, que lhe ajudam a mostrar o que fazer com essa flor.


MOMOKO: DE QUE MODO ELA FEZ DA CAROLLOVE UMA FLOR PACÍFICA

Momoko é uma treinadora de Tai Chi Chuan desde meados dos anos 80. Em 1978, quando Momoko tinha cinco anos de idade e morando numa casa de veraneio, caiu de súbito num buraco que dava acesso a caverna subterrânea (que era subordinada ao Império Subterrâneo Tube, já extinto em 1988, 63º e último ano da era Shōwa - bem antes do início da era Heisei) e ficava perdida quando de repente ouvia-se a voz feminina (vinda de uma flor), dizendo a Momoko para seguir a luz da flor Carollove. E não foi preciso muito tempo para que Momoko seguisse a luz da flor, ela pegou tanto a flor Carollove quanto as sementes da mesma, e voltou para casa feliz. Momoko guardou a Carollove, que estava presente nos momentos de sua vida: ela lhe deu força e coragem o bastante durante esse tempo. 
Momoko, com 19 anos e ainda cuidando da Carollove, se deu conta que sua amiga Haruka foi atacada pela flor demoníaca (e também seus colegas, vítimas da mesma planta). Mal teve que salvar seus amigos, a luz essencial da Carollove iluminou através da flor, gerando uma fonte de luz que destruiu as plantas demoníacas, assim salvando seus colegas. 
O Chefe Sugata teve uma ideia: a essência de Carollove podia ser um antídoto contra essas flores demoníacas, e era preciso extrair essa flor. Mas Momoko, ao saber que sua flor seria destruída, ou ela protegeria essa flor ou morreria tentando. Momoko não teve nenhuma escolha, senão extrair toda a essência oriunda de sua flor. Triste, Momoko pediu a Carollove:
Carollove, por favor, salve muita gente!
(Nem que você não ouça a voz da Carollove que fala, você não consegue sentir a emoção de Momoko falando com a flor tão linda.)
No dia seguinte, Momoko, a bordo do Mask Gyro, espalhou toda a essência de Carollove por toda a parte - para matar as plantas demoníacas e salvar muitas vidas. E ela fez como planejado. 
(Um rápido aparte: em 1975, doze anos antes de Momoko usar a Carollove como um antídoto contra essas plantas terríveis, a Carollove era a flor favorita da Imperatriz, a mãe das gêmeas Igam e Ial. Naquela época, Tube era pacífico, cheio de flores Carollove por toda a parte, até que um dia entretanto, Zeba apareceu e derrubou a Imperatriz. E o que foi pior: quase que destruiu as flores e a responsável pela destruição foi Ial. Parecia que Ial ia salvar duas dessas flores, mas foi Momoko quem a obteve quando ela era uma garotinha.)
Mais tarde naquela noite depois de tanta luta, Momoko olhou para o céu de Tōkyō, estrelado, visualizando a imagem da flor Carollove - e de lágrimas nos olhos. Momoko disse (e prometeu) a si mesma que, mesmo que fosse ela que destruiu a Carollove (a semente da flor Carollove só foi descoberta pela dona da floricultura, Hirome Nakajima, dezoito meses depois), a flor Carollove vai continuar florescendo para sempre em seu coração.


 
KALLISTA ZHANG: UMA FLOR QUE VEIO DO CÉU

Kallista Zhang é uma excelente escritora de apenas 23 anos que mora em Pequim (China) e que é muito ligada aos contos de fadas e elementos fabulosos, feéricos e celestiais. Também adora flores e elementos românticos e temáticos, que parece ter saído dos contos que ela escreve e lê. Certa vez, naquela tarde de primavera de 2006, Kallista descobriu em seu jardim a flor Carollove, que lhe serviria de enfeite milagroso para qualquer ocasião, quando de repente Wao Li, seu amigo de longa data, quase foi morto por uma planta carnívora assassina! Então Kallista notou que a Carollove estava brilhando: é um sinal de que Wao tem que ser salvo a tempo.
Kallista trouxe sua Carollove para onde está Wao Li. De repente a flor Carollove jorrou uma luz essencial que destruiu a planta carnívora assassina, assim salvando Wao. (Mas que milagre!) Wao, já salvo, disse a Kallista: Como foi que essa flor me salvou? E Kallista respondeu: Foi a flor Carollove que te salvou. É a flor da paz que veio do céu pra destruir as plantas carnívoras assassinas e salvar muitas vidas. 


VIVIANE: A FLOR DO PARAÍSO

Assim como Momoko e Kallista Zhang, Viviane, que mora em São Vicente (São Paulo, Brasil), também descobriu essa maravilhosa flor. Foi durante uma visita em Holambra, interior de São Paulo, quando Viviane descobriu um tipo de orquídea-traça toda branca até o núcleo (e ela pagou R$ 25,00 ao floricultor por um meio que orquídea). Feliz e entusiasmada, Viviane levou sua flor branca no caminho de volta - de Holambra até São Vicente, num trajeto rodoviário que levou mais ou menos quatro horas e 45 minutos - e quando ela viu a luz brilhar de sua flor, descobriu que não era uma orquídea qualquer: era a Carollove, uma flor disposta a ajudar Viviane a voltar para casa na Ilha Porchat em São Vicente. Por causa dessa flor, Viviane, animada, chegou a São Vicente depois de uma longa viagem de ônibus a Holambra, pegou sua carollove e voltou para seu apartamento na Ilha Porchat, enfeitou o jardim da sacada de seu apartamento com vista para o mar com sua flor e Viviane notou que seu jardim de inverno foi imediatamente transformado num jardim paradisíaco, com lindas flores (rosas, lírios, hibiscos, etc.) e a carollove. É por isso que essa flor carollove é a "flor do paraíso" pelo fato de Viviane ter ajudado por essa flor pacífica.

Eu também faço da carollove a flor da paz e você também pode cuidar bem dessa flor carollove; ela é a flor simbólica da paz que pode salvar você das dificuldades e te dar coragem o bastante para vencer em todas as áreas da sua vida! 


Baixar audiolivro em Mp3 pelo 4shared


Baixar audiolivro em Mp3 pelo Mediafire



Trívia:

A flor Carollove apareceu pela primeira vez no episódio 15 de Esquadrão da Luz Maskman (Hikari Sentai Maskman), "Adeus, Querida Flor!" ("Saraba! Itoshiki Hana yo"), de onde veio essa linda flor simbólica (similar a uma orquídea-traça branca) e na qual este conto é baseado. Nele, Momoko aprecia sua flor carollove.

A flor carollove também está presente em nossos corações. Tanto que via nisso uma inspiração o bastante para este conto. Por isso o conto Carollove, a flor da paz, em que introduz duas novas personagens além de Momoko: a chinesa Kallista Zhang e a nossa brasileira Viviane. No conceito (publicado na minha página de música e literatura Tatianna Raquel Page no Facebook) era eu que dividiria esse mesmo enredo com Momoko, mas mudei de ideia e acrescentei duas novas protagonistas adicionais a dividir esse mesmo enredo com Momoko.

Mais uma metáfora desde A Moça do Além: dessa vez é a flor Carollove, que ilumina e jorra fonte de luz essencial para acabar com quaisquer que sejam as plantas assassinas e os obstáculos desse tipo também.

Também na vida real, a orquídea-traça branca também é chamada carollove. Por coincidência, o episódio de Maskman "Adeus, Querida Flor!" é o meu episódio favorito, pois eu tenho uma orquídea-traça similar à essa flor simbólica e a sequência do mágico desabrochar da carollove marcou tanto a minha vida que eu resolvi dar uma carona nessa inspiração nessa flor pacífica.