terça-feira, 13 de agosto de 2013

Tatianna Raquel Podcast Ep. 02: "Seguir a estrela em busca de um sonho:é possível?"

Olá, gente! Fala Tatianna Raquel e este é o meu podcast, aqui neste blog! Cada quinzena um assunto diferente pra você ficar bem informado no que rola por aí (acompanha também a versão em áudio, disponível em Mp3 para baixar e escutar no iPod Touch, no iPhone ou no Tablet).
Bom divertimento!

O quão longe podemos enxergar? Dezesseis quilômetros? Trinta e dois? Não podemos ver os glaciais a partir do deserto. Ou o fundo do mar a partir do alto das montanhas. Nós nunca conheceremos as outras sete bilhões de pessoas que passeiam pela Terra. Mas sabemos que elas estão lá. Somos preparados para acreditar no que não podemos ver. Mas nós podemos ver a lua e o sol. Não a trinta e dois quilômetros, mas a cento e quarenta e nove milhões, setenta e três mil e oito quilômetros daqui. E a via de estrelas sem fim tão distantes quanto às questões que eu acredito. Nossos sonhos nos levam a lugares que nunca alcançaremos e abre portas para outros mundos, e janelas para nossas almas. Uma jornada às estrelas pode ser o mais próximo de um sonho que a realidade pode me levar. Mas tão claro quanto eu verei a beleza do universo, eu verei mais profundamente meu interior. Mais perto dos meus sonhos. Eu não sou uma sonhadora; eu sou uma perseguidora de sonhos. 

Sarah Brightman, minha musa favorita do canto lírico cujo seu mais recente trabalho é Dreamchaser, diz clara e simplesmente a respeito de como seguir as estrelas do universo imenso, em busca de um sonho que nos levam a lugares inalcançáveis, de portas abertas para outros lugares e janelas para nossas almas. Quanto mais você segue uma estrela, mais você busca o sonho que você tanto deseja, um desejo por se realizar. Mas será possível que uma estrela possa ser alcançada ao fazer um pedido e buscar um sonho tão desejado a fim de converter desejos em realidade?

Desde os tempos antigos até os dias atuais, o ato relacionado às estrelas inspira nossos pedidos e sonhos a serem convertidos em realidade. Por mais supersticioso que possa ser, na verdade esse ato relacionado às estrelas têm a ver com um milagre de Deus, porque justamente é algo sagrado e divino. Há milênios, Abraão saiu da tenda para o deserto da Mesopotâmia (hoje Oriente Médio) e, ao olhar para as estrelas, ele pediu que seus descendentes fossem muitos, conforme diz em Gênesis (15:5-6) (MSG):
Então, o SENHOR levou Abrão para fora da tenda e disse: "Olhe para o céu e conte as estrelas. Você consegue fazer isso? Imagine que assim serão seus descendentes! Abrão, sua família será muito grande!".
E Abrão acreditou! Acreditou no SENHOR. 
Foi assim que, as estrelas do céu que Abraão viu (e ele acreditou no que Deus disse) seriam comparadas a seus descendentes. E foi por isso que Deus fez a estrela brilhar para ele (e vai fazer a estrela brilhar pra nós e pra você), pois você alcança a estrela e, ao buscar esse sonho que você tanto deseja, tudo será possível!

Dos tempos pós-abraânicos (período de Isaque) em diante, as estrelas são descritas como uma seguidora até 1004 a.C., quando Davi passou a reinar Israel (depois que a Estrela de Davi foi Deus que fez milagrosamente). A partir de 1000 a.C., os povos celta, aborígene e asteca (entre todos os outros) começaram a seguir sua estrela em busca de seu sonho. Na passagem do primeiro século a.C. para o primeiro século da nossa era cristã (ano um, marco zero), quando o Senhor Jesus nasceu em Belém, Judeia (hoje Cisjordânia), os Reis Magos Baltasar, Gaspar e Melquior (os sábios do Oriente), instruídos pelo rei Herodes, viram no Leste uma estrela no céu. Ela os guiou até o lugar em que estava a criança. Eles mal podiam conter a alegria: estavam no lugar certo! Haviam chegado na hora exata! (Mateus 2.10) (MSG)

A partir daí, muita gente começou a seguir uma estrela, na esperança de obter seu próprio sonho. E continuam seguindo.

Para entender o significado dessa metáfora, precisamos olhar para uma estrela no céu e segui-la. Podemos ir mais longe, nos levando a um sonho que a realidade nos pode levar. Aí olhamos pro alvo e seguimos em frente, em busca de realizar desejos e sonhos que tanto queremos.

Há sempre uma fascinação por essa constelação de estrelas que brilham no cosmos. Mais populares do que nunca, hoje estão presentes na cultura popular (incluindo livros, filmes, seriados de tevê, música, etc.) e no nosso cotidiano. Esse entusiasmo efervescente expressa uma espiritualidade sagrada e divina mesmo que mundana.

A popularidade do ato de seguir uma estrela em busca de um sonho hoje é mais um episódio de uma história milenar de entusiasmo ligado a Deus. 

Quer seja uma estrela guia ou guiada por uma estrela, suas funções e ações são basicamente as mesmas. 

Falando nisso, eu me lembro que em 9 de outubro de 1994, quando eu tinha apenas 16 anos, eu li o tema-livre da estrela cadente do suplemento "A Tribuninha" do jornal "A Tribuna", assisti Starman pela tevê, imaginei uma garota que fazia um pedido a estrela do mesmo jeito que ela seguia a mesma estrela em busca de um sonho e uma estrela para seguir (e isso lhe seviu de base para um conto!). Não demorou muito e logo eu escrevi meu conto chamado A Estrela dos Desejos, que não só influenciou coisas como A Estrela (Zvezda, 2003) do Vitas, na minha versão em português (que eu gravei em 2011 e está disponível este meu blog até hoje) e o mais recente CD conceitual da Sarah Brightman, Dreamchaser (2013), como também começou a inspirar não só a mim (a primeira vez que eu vi uma estrela cadente foi em 1986, quando o cometa  Halley passou por aqui; no entanto eu sempre olho pras estrelas quase todas as noites e as sigo, em busca do meu sonho), mas a todas nós, quase 8 bilhões de pessoas aqui presentes no nosso planeta Terra. E foi uma experiência incrível escrever um conto que fala sobre como seguir a estrela em busca de um sonho (sim, você leu direito).

Conforme a romena Maria Alexandra, uma fã apaixonada de Vitas diz: Alcance as estrelas. Só Deus é a Última Fronteira pra nossa mente e pra nossa alma. Essa frase que Alex postou no dia 9 de junho do ano passado (2012) - a frase antecedeu também o lançamento do CD de Sarah Brightman, Dreamchaser, e do filme Star Trek: Into Darkness de J. J. Abrams - também pode ser guardada na nossa memória e no nosso coração (e no seu também) para se lembrar do que Sarah Brightman nos ensinou através do monólogo de Dreamchaser para pormos em prática, a fim de seguirmos a estrela numa incrível jornada aos confins do universo em busca de um sonho. Quanto mais perto de um sonho, mais é possível. Agora entendo que é possível seguir uma estrela e buscar um sonho, pois eu nem sou uma sonhadora, eu persigo e busco sonhos. Afinal, pra Deus é tudo possível. 
 
 
 



Baixar podcast em Mp3 pelo 4shared


Baixar podcast em Mp3 pelo Mediafire